20 de abril de 2021

ConexãoMT

As notícias se encontram aqui!

Delegacias da mulher de São Paulo poderão atender transexuais

A Polícia Civil determinou que transexuais poderão ser atendidas nas delegacias da mulher do estado de São Paulo. Conforme foi publicado no Diário Oficial, ficou determinado que o sexo biológico não é mais um empecilho para o atendimento. Agora elas têm esse direito assegurado por uma revisão na lei que criou essas unidades especializadas em casos de violência doméstica, familiar ou crimes contra a dignidade sexual.

Reprodução/Google Maps
Delegacias da mulher de São Paulo atenderão mulheres trans

Em entrevista para o G1, a delegada Jamila Ferrari, que coordena as delegacias das mulheres em São Paulo, disse que antes as trans não eram impedidas de serem atendidas nessas delegacias. Porém, ela acredita que a nova resolução “traz mais segurança e garantias a este público no momento de registrar o boletim de ocorrência”. 
“A intenção foi deixar claro que nós não atendemos essas vítimas conforme o sexo biológico, mas sim pela maneira como elas se enxergam”, explicou Ferrari. O Brasil é um país com altos índices de crimes contra a população trans. Em 2019, segundo dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), foram ao menos 124 pessoas transgênero assassinadas. Lembrando que o número pode ser bem maior do que o contabilizado oficialmente. 

Leia também
“Ele disse que ia ao banheiro e sumiu”, conta modelo trans sobre encontro
Homens que menstruam: campanha dá visibilidade à menstruação de homens trans
Tinder é acusado de transfobia no Twitter após banir perfil de artista trans

Militantes do movimento trans comemoraram a decisão da Polícia Civil. A reverenda Alexya Salvador fez um post no Instagram comemorando a conquista. “Na maioria das vezes, a violência institucional era outro fator que não permitia o acesso a um direito de todo pessoa humana. Com a determinação Polícia Civil, que definiu que sexo biológico não vai interferir para que transexuais e travestis sejam atendidas por unidades especializadas em casos de violência doméstica, familiar ou crimes contra a dignidade sexual.Que nenhum direito nos seja negado e que os profissionais envolvidos possam passar por uma especialização, uma vez que não ter os documentos retificados pode ainda causar os mesmos constrangimentos de sempre!”, ela escreveu.

Fonte: IG Mulher

#infocoweb_cabecalho {
display: inline-block;
margin-top: -75px;
position: absolute;
right: 0;
}

#infocoweb_corpo div {
margin-bottom: 10px;
text-align: justify;
}O post Delegacias da mulher de São Paulo poderão atender transexuais apareceu primeiro em O Atual.