3 de dezembro de 2021

ConexãoMT

As notícias se encontram aqui!

“Vacina deve ser encarada como plano B”, diz vice-presidente da Fiocruz

Reprodução
Cientista trabalhando na vacina da Covid-19

Nesta sexta-feira (28), Marco Krieger , vice-presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), declarou que a vacina  contra o novo coronavírus (Sars-coV-2) ainda precisa ser encarada como um “plano B”, uma vez que um primeiro lote de 15 milhões de doses só está previsto para janeiro de 2021, e sem a garantia de registro imediato pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Leia também
30 milhões de doses de vacina deverão ser produzidas até fevereiro, diz Fiocruz
Fiocruz assina contrato para produção da vacina de Oxford com AstraZeneca
Covid-19: Fiocruz e Anvisa definem detalhes de registro e produção de vacina

Por enquanto, segundo ele, deve-se manter o plano A, que é baseado em manter a testagem para detecção da Covid-19 , manter uso de máscaras e medidas de  distanciamento social . 
“A vacina hoje tem de ser encarada como um plano B. No melhor cenário, chegará daqui a alguns meses. É preciso ter um pouco de paciência. Até lá, o enfrentamento à pandemia precisa ser feito com testagem, uso de máscara e dinâmica de distanciamento”, disse o representante da Fiocruz ao jornal O Globo .
Krieger afirma também que busca “antecipar o máximo possível” a produção da vacina, mas sem “queimar etapas”. Ele critica o que chama de “guerra de narrativas”, numa referência à corrida pela viabilização de outras vacinas, como a russa e a chinesa. Todavia, reconhece. “É muito provável que a gente tenha mais de uma vacina”.

Fonte: IG SAÚDE

#infocoweb_cabecalho {
display: inline-block;
margin-top: -75px;
position: absolute;
right: 0;
}

#infocoweb_corpo div {
margin-bottom: 10px;
text-align: justify;
}O post “Vacina deve ser encarada como plano B”, diz vice-presidente da Fiocruz apareceu primeiro em O Atual.