21 de outubro de 2021

ConexãoMT

As notícias se encontram aqui!

Reino Unido investirá R$ 3,1 bilhões em testes “rápidos e fáceis de usar”

Rovena Rosa/Agência Brasil
Objetivo do governo britânico é aumentar o número de testes rápidos realizados

Nesta quinta-feira (3), o governo do Reino Unido informou que pretende investir até 500 milhões de libras (cerca de R$ 3,1 bilhões) no desenvolvimento de novos testes para a identificação da Covid-19 . O objetivo é realizar testagens em massa com procedimentos rápidos e fáceis de usar.

Leia também
Coronavac já foi aplicada em 100 voluntários do interior de SP
OMS recomenda uso de corticoide para tratar a Covid-19
Saúde nega obrigação e diz que vacina é instrumento de “volta a normalidade”

Segundo informações da agência de notícias France Presse, o Ministério da Saúde britânico divulgou os valores do investimento em um comunicado que pretende levar o país ao “próximo nível” em sua política de detecção do novo coronavírus (Sars-Cov-2).
Para isso, a ideia é que sejam feitas testagens mais regulares e abrangentes, o que garantira a detecção precoce da doença e facilitaria o diagnósitoc e posterior tratamento, reduzindo as possibilidades de casos mais graves da Covid-19.
“Ser capaz de expandir o diagnóstico em massa com novas tecnologias é um grande passo”, afirmou o ministro da Saúde, Matt Hancock, em entrevista ao canal Sky News. Atualmente, o país realiza cerca de 300 mil testes por dia, valor que pretende aumentar com a inclusão dos procedimentos mais rápidos.
Ainda de acordo com a publicação, o ministro disse que os novos testes serão “rápidos, precisos e fáceis de usar” e serão uma importante arma do governo na busca pela retomada da “vida normal” após o período mais turbulento da pandemia da Covid-19 .

Fonte: IG SAÚDE

#infocoweb_cabecalho {
display: inline-block;
margin-top: -75px;
position: absolute;
right: 0;
}

#infocoweb_corpo div {
margin-bottom: 10px;
text-align: justify;
}O post Reino Unido investirá R$ 3,1 bilhões em testes “rápidos e fáceis de usar” apareceu primeiro em O Atual.