ECONOMIA

EUA proíbem qualquer transação com o Banco Central da Rússia

Publicado em

EUA proíbem qualquer transação com o Banco Central da Rússia

Os Estados Unidos proibiram todas as transações com o Banco Central da Rússia, anunciou o Departamento do Tesouro, uma sanção de efeito imediato e de uma gravidade sem precedentes tomada em coordenação com vários aliados de Washington, em resposta à invasão da Ucrânia.


As duas sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos e seus aliados ao Banco Central da Rússia e outras fontes importantes de riqueza provavelmente aumentarão a inflação russa, prejudicarão seu poder de compra e reduzirão os investimentos, disseram autoridades norte-americanas nesta segunda, quando as novas medidas foram anunciadas.

O país tem enfrentado medidas de retaliação do Ocidente desde que iniciou uma guerra contra a Ucrânia na última semana.

“Esta decisão tem o efeito imobilizar todos os ativos que o Banco Central da Rússia tem nos Estados Unidos ou que estão nas mãos de cidadãos americanos”, afirma um comunicado, o que limitará consideravelmente a capacidade de Moscou para defender sua moeda e apoiar sua economia.

As negociações entre autoridades russas e ucranianas começaram na fronteira bielorrussa nesta segunda, enquanto a Rússia enfrentava um isolamento econômico cada vez mais profundo quatro dias depois de invadir a Ucrânia no maior ataque a um Estado europeu desde a Segunda Guerra Mundial.

Leia Também:  TCU libera crédito extraordinário para gastos sociais e trabalhistas

O Departamento do Tesouro dos EUA em comunicado na segunda-feira disse que também impôs sanções a um importante fundo soberano russo, o Fundo Russo de Investimento Direto.

Os Estados Unidos e seus aliados anunciaram que tomariam medidas contra o Banco Central da Rússia no sábado, em um movimento que especialistas viram como uma escalada significativa das sanções do Ocidente contra Moscou.

Um alto funcionário dos EUA disse que a medida imobilizou quaisquer ativos que o Banco Central da Rússia detinha nos Estados Unidos, em uma medida que prejudicará a capacidade da Rússia de acessar centenas de bilhões de dólares em ativos.

O Tesouro emitiu uma licença geral juntamente com a ação de segunda-feira autorizando certas transações relacionadas à energia até 24 de junho.

O governo do presidente Joe Biden tem se preocupado que suas sanções possam aumentar os preços já altos do gás e da energia e tomou medidas para mitigar isso.

Autoridades também alertaram que os Estados Unidos não hesitariam em lançar mais sanções contra a Rússia e que estavam observando de perto o envolvimento de Belarus, acrescentando que o forte aliado russo pode enfrentar mais consequências se continuar a ajudar Moscou na invasão.

Leia Também:  Poupança tem retirada líquida de R$ 7,42 bilhões em novembro

Nesta segunda, a cotação da moeda russa desabou em relação ao dólar e ao euro durante a abertura das cotações na bolsa de Moscou. A moeda russa estava sendo negociada a 94,15 por dólar perto das 10h, abaixo dos 83,5 de quarta-feira (23), último dia em que uma taxa de câmbio oficial foi registrada antes da invasão da Ucrânia. Em relação ao euro, o rublo estava sendo negociado a 105,43 por euro, de um nível anterior de 93,5.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

ECONOMIA

4 aplicativos para organizar as finanças

Published

on

4 aplicativos para organizar as finanças
Agnes Faria

4 aplicativos para organizar as finanças

Cada vez mais, a tecnologia toma conta da rotina de diversas pessoas. Com aplicativos para controle financeiro, por exemplo, é possível organizar rendimentos mensais, gastos e despesas de diferentes formas e tudo pelo celular. Por isso, Railson Soares, analista de TI e professor de robótica, explica como funcionam as principais ferramentas. Assim, você pode escolher aquela que mais atende às suas necessidades.

1. Guiabolso

Oferece soluções de gestões financeiras . Com ele, é possível controlar empréstimos, gastos com cartões, investimentos, contas digitais e seguros.

2. Mobills

Com esse aplicativo, os usuários podem inserir suas despesas e receitas. Controlar cartões de crédito e adicionar contas bancárias são funcionalidades também presentes.

3. Organizze

Nesse aplicativo , as pessoas podem dividir as despesas e as receitas em categorias e subcategorias. Ele, ainda, possui indicadores de metas e conciliações bancárias.

4. Minhas Economias

A organização de contas, receitas e investimentos é uma das funções desse aplicativo. Além disso, ele conta com a divisão de despesas e rendas em categorias e subcategorias.

Leia Também:  Poupança tem retirada líquida de R$ 7,42 bilhões em novembro

Benefícios dos aplicativos

Segundo Victor Moraes, especialista em TI, os aplicativos para controle de gastos pessoais são recomendados para todos aqueles que querem organizar o orçamento e, é claro, garantir uma independência financeira a curto prazo.

Para Railson Soares, a principal vantagem dessas ferramentas é o fato de você poder controlar as finanças sem sair do lugar. Ademais, através desse controle, torna-se possível se precaver de futuras dívidas, ao analisar se os gastos saíram ou não do gerenciamento orçamental.

Utilizando as ferramentas

Para utilizar os aplicativos, Victor Moraes explica que, de forma geral, primeiro é feito um cadastro básico com e-mail ou redes sociais. Em seguida, há um questionário para ser respondido, contendo perguntas sobre os objetivos monetários do usuário.

O próximo passo é inserir todos os investimentos , as rendas e as despesas – o que pode ser feito de forma manual ou automatizada, dependendo do aplicativo. Após essas etapas, já é possível utilizar o programa para acompanhar as movimentações financeiras.

Leia Também:  TCU libera crédito extraordinário para gastos sociais e trabalhistas

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continuar lendo

GRANDE CUIABÁ

MATO GROSSO

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA