GERAL

Reino Unido divulga atestado de óbito da rainha Elizabeth II e diz que monarca faleceu de ‘velhice’

Publicado em

25079053-1

Nesta quinta-feira (29), a National Records of Scotland (Registros Nacionais da Escócia, na tradução livre) divulgou a causa da morte da rainha Elizabeth II, e, de acordo com o texto, ela faleceu de velhice.
O certificado mostra que sua morte foi registrada por sua filha, a princesa Anne, em 16 de setembro com a hora da morte às 15h10 (11h10 no horário de Brasília), segundo a Reuters.
No dia 16, o Palácio de Buckingham divulgou um comunicado pouco depois das 12h30 (08h30 horário de Brasília) para dizer que os médicos estavam preocupados com a saúde da rainha e que ela permaneceria sob supervisão médica. Sua morte foi anunciada oficialmente às 18h30 (14h30 no Brasil).
Rainha Elizabeth II - Sputnik Brasil, 1920, 12.09.2022

A monarca, que passou 70 anos no trono e faleceu aos 96 anos, sofria do que o palácio chamou de “problemas de mobilidade episódicos” desde o final do ano passado, forçando-a a se retirar de quase todos os seus compromissos públicos.
Elizabeth II cumpriu seu último dever oficial nomeando Liz Truss como primeira-ministra no dia 14 de setembro. Ao mesmo tempo, um dos últimos documentos assinados em nome da rainha foi os parabéns ao Brasil pelos seus 200 anos de independência, conforme noticiado.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Presidente viaja a Londres para participar do funeral de Elizabeth II
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

GERAL

Especialistas da AIEA avaliaram danos em Zaporozhie e não encontraram nenhuma ameaça à segurança

Published

on

By

Especialistas da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) examinaram os danos causados ​​​​à usina nuclear de Zaporozhie por bombardeios intensos e concluíram que não havia ameaças imediatas à segurança nuclear. A declaração foi dada pelo diretor-geral da AIEA, Rafael Grossi, nesta segunda-feira (21).

“Uma equipe de especialistas da Agência Internacional de Energia Atômica avaliou hoje [21] a extensão dos danos causados ​​por bombardeios intensos no fim de semana na Usina Nuclear Zaporozhie, na Ucrânia. Eles puderam confirmar que, apesar da gravidade do bombardeio, o equipamento principal permaneceu intacto e não há risco imediato à segurança nuclear ou preocupações com a segurança”, disse Grossi.

Unidade da usina nuclear de Zaporozhie em Energodar, foto publicada em 23 de agosto de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 09.09.2022

De acordo com o chefe da AIEA, um total de quatro especialistas em segurança nuclear, proteção e salvaguardas realizaram uma extensa visita à usina nuclear. Posteriormente, eles divulgaram um comunicado com as conclusões, afirmando que a condição dos reatores após o bombardeio era estável.

“O estado das seis unidades do reator é estável e a integridade do combustível irradiado, do combustível novo e dos resíduos radioativos de baixo, médio e alto níveis em suas respectivas instalações de armazenamento foi confirmada”, disse o comunicado da equipe.

Leia Também:  Descobertas fascinantes que ficaram congeladas (literalmente) no tempo

COMENTE ABAIXO:
Continuar lendo

GRANDE CUIABÁ

MATO GROSSO

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA