POLÍTICA NACIONAL

Sâmia Bomfim é desmentida por colegas do PSOL

Publicado em

Sâmia Bomfim, deputada federal pelo PSOL
Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Sâmia Bomfim, deputada federal pelo PSOL

A deputada federal Talíria Petrone e a vereadora Erika Hilton desmentiram Sâmia Bomfim . As duas afirmaram que são favoráveis que o PSOL faça parte da base de apoio do governo eleito de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Congresso. O partido decidirá o seu futuro no dia 17 de dezembro.

“Estamos entre aqueles que defenderam que o PSOL apoiasse a candidatura de Lula desde o primeiro turno. Com o fascismo não se brinca”, relatou Talíria, em nota enviada para a jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo. O documento foi assinado pela deputada em conjunto com os deputados eleitos Henrique Vieira e Tarcísio Motta, do Rio de Janeiro.

“O PSOL seguirá na linha de frente da instalação do novo governo e pela aprovação das medidas populares que o povo brasileiro elegeu. Assim, daremos nossa melhor contribuição para o Brasil: sustentando o governo Lula contra a extrema direita e sendo voz firme diante de qualquer ameaça de retrocesso”, diz outro trecho do comunicado.

Erika Hilton também negou a versão dada por Sâmia e declarou que defenderá um grande debate “democrático nas instâncias partidárias”. “Ao contrário do que a deputada Sâmia Bomfim fez parecer em suas declarações para essa coluna, essa posição não está fechada no partido, e tampouco faço parte daqueles que acham que, caso sejam convidados, figuras do PSOL não possam fazer parte do governo, por princípio, sem discutir caso a caso”, afirmou a deputada federal eleita.

“O PSOL tem a responsabilidade de defender o governo Lula contra qualquer tipo de golpismo e não fará oposição ao governo. Temos legitimidade popular para ocupar eventuais espaços, por sermos referência nacional em diversas agendas progressistas encampadas na campanha que derrotou Bolsonaro”, continuou.

Leia Também:  'Não fugimos', disse filho de Lula sobre Carlos Bolsonaro nos EUA

“Várias dessas agendas, inclusive, podem ser massificadas com a presença do PSOL nesses espaços, tensionando o debate político à esquerda”, concluiu.

A deputada federal Fernanda Melchionna concorda com Sâmia e quer a independência da sigla. “É fundamental ter claro que independência significa ser e manter a força e a firmeza do PSOL, que foi tão importante no enfrentamento da extrema direta e do fisiologismo. É apoiar medidas a favor dos trabalhadores, mas não entrar nesse [jogo do] centrão ideológico e ter forças para lutar por um programa que precisa ser feito no Brasil”, completou.

“Se tu integra governo, tu integra governo. Vai ter que acompanhar as posições políticas e vai ter que fazer parte do governo, seja na defesa do [José] Múcio [Monteiro, cotado para a pasta da Defesa] ou no apoio ao Lira. A independência, ao contrário, nos permite apoiar tudo de bom que vier do governo, mas ter independência para não ser adesista”, concluiu.

O início da polêmica

Sâmia deu entrevista para a Folha de S.Paulo e defendeu a independência do PSOL no Congresso Nacional.  Ela relatou que a maioria da sigla optará por não fazer parte do governo petista.

“A gente quer ter liberdade para se posicionar como o PSOL sempre se posicionou, como a ala à esquerda no Congresso Nacional, e vocalizar pautas que a gente sabe que ninguém vai pautar”, relatou nesta segunda.

Leia Também:  Acusada de usar droga, Janja processa comentarista da Jovem Pan

Ela relatou que, além dela, os deputados federais Talíria Petrone (RJ), Glauber Braga (RJ) e Fernanda Melchionna (RS), e a vereadora e deputada federal eleita Erika Hilton (SP) são favoráveis a independência.

Juliano Medeiros rebateu

O presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, também se manifestou.  Ele demonstrou ser favorável que a sigla esteja no governo Lula.

“O PSOL reunirá seu Diretório Nacional no próximo dia 17. Até lá teremos muitos debates sobre as tarefas do partido a partir de 1º de janeiro. Estou certo de que o PSOL não virará as costas para Lula e para o governo que ajudou a eleger. Vamos ajudar a reconstruir o Brasil!”, escreveu Juliano em seu perfil no Twitter.

Boulos alfinetou

Na avaliação do deputado mais votado no estado paulista,  o PSOL precisa fazer parte do governo eleito. “Quem vai fazer oposição ao Lula é o bolsonarismo, e não estaremos ao lado deles. O momento do país é outro. Enfrentamos uma oposição raivosa. E não dá para brincar com isso”, disse.

“Eu defendo que o PSOL integre a base de apoio ao Lula. O governo será de frente ampla, e nós temos que disputar internamente espaços para puxar a agenda do país para a esquerda”, resumiu.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

POLÍTICA NACIONAL

Chanceler alemão chega hoje ao Brasil

Published

on

O chanceler alemão Olaf Scholz chega hoje (30) ao Brasil e terá encontros com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com delegações de empresários. 

Segundo a Embaixada da Alemanha, a viagem de Scholz incluiu, também, Argentina e Chile, visando enfatizar a importância da América do Sul para o governo alemão.

Na agenda de Lula para hoje, divulgada pelo Palácio do Planalto, está prevista para as 15h30 a cerimônia de chegada do chanceler, seguida de reunião bilateral às 15h45. Às 18h, Lula e Scholz se reúnem com as delegações empresariais do Brasil e da Alemanha. Em seguida, será feita uma declaração à imprensa, às 18h30.

Às 19h30 haverá um jantar em homenagem a Scholz no Palácio Itamaraty.

A ministra alemã da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento, Svenja Schulze, deve acompanhar as reuniões. No fim de semana, ela se encontrou com representantes de sindicatos, sociedade civil e empresas em São Paulo, para tratar de temas relacionados à energia sustentável.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Política Nacional

Leia Também:  Polícia do Senado pede reforço na segurança da Esplanada para a reabertura dos trabalhos

COMENTE ABAIXO:
Continuar lendo

GRANDE CUIABÁ

MATO GROSSO

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA