Política

Festival Alencastro celebra os 140 anos de história da primeira praça pública de Mato Grosso

Publicado em

6ad074ae3fa7ce09d47b471aa8aa1dad

O secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Aluízio Leite, participou nesta terça-feira (04) do lançamento do Festival Alencastro, que será realizado no dia 28 de outubro, na Praça Alencastro, a partir das 16 horas. O evento é alusivo aos 140 anos da primeira praça pública de Mato Grosso. 

“É com muita alegria e satisfação que a Prefeitura de Cuiabá é parceira desse grandioso evento que irá celebrar a memória da primeira praça pública. Como sempre digo, uma cidade sem passado é uma cidade sem futuro”, declarou o secretário de Cultura durante o ato de lançamento.

“A gestão Emanuel Pinheiro tem o compromisso com a qualidade de vida da população cuiabana. Tanto é, que tem trabalhado na revitalização e construção de novas praças públicas. Até o momento, mais de 150 novas praças foram construídas e entregues à sociedade. É uma gestão que se preocupa com gente e trabalha para gente”, acrescentou o secretário.

Presente ao evento, o professor Aníbal Alencastro lembrou um pouco dos grandes acontecimentos ocorridos na praça desde o limiar do século XIX. “A praça era um dos principais pontos de encontro da cuiabania. Era nesse local que a sociedade se reunia aos finais de semana para irem ao Cine Teatro e comer a famosa ‘pipoquinha’. Além desses encontros, a praça também celebrou casamentos, manifestações populares, dentre outros. Lembrar dessa história é remeter-se ao passado. Comemorações dessa natureza são importantes para que as atuais gerações conheçam que a Cuiabá de hoje tem toda uma história registrada”, contou o professor.  

Leia Também:  Grupo de trabalho do MPF realiza visita de inspeção no bairro do Bom Parto em Maceió (AL)

O Projeto Festival Alencastro propõe que a praça seja palco de grandes acontecimentos que façam com que a sociedade cuiabana tenha a oportunidade de revisitar o passado e ao mesmo tempo, mostrar a essa nova geração como se divertiam naquela época. “Será um dia inteiro de festividades. A última sexta-feira de outubro, 28, será um dia de celebrações e festividades. Estão todos convidados”, convidou o produtor cultural do Festival Alencastro, Jeferson Bertoloti.

O Festival é promovido pela Bemtivi Academia de Arte em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer e Assembleia Social da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Praça Alencastro

A praça Alencastro foi palco de grandes apresentações artísticas, de touradas, mas também, era o lugar onde as famílias se reuniam para conversar e se distrair. Era o lugar favorito dos casais de namorados. Diferente dos dias atuais, a praça não era tão acessível como agora. Hoje, ela pertence ao povo, sem restrição nenhuma, mas nem sempre foi assim.

Naquela época, os ‘grã-finos’, pessoas mais abastadas, se reuniam na parte interna onde havia bancos de madeira e os ‘plebeus’, na externa”, que ficavam observando como eles se divertiam. As pessoas eram atraídas pela beleza da Fonte Luminosa, atração que empolgava tanto os adultos, quanto as crianças. As águas coloridas pelo reflexo das luzes da fonte encantavam a todos, que aproveitavam também para se refrescar ao redor da fonte nas tardes quentes dos sábados, domingos e feriados de Cuiabá.

Leia Também:  Comissão de Educação discute violência nas escolas públicas de MT

Hoje, a praça Alencastro não é mais aquela pracinha de antes, mas continua sendo um lugar de circulação de pessoas, um palco de manifestações populares de lutas e protestos, de exposições de artes e de campanhas educativas. Atualmente, o espaço abriga a sede da prefeitura de Cuiabá e pode ser visitado 24 horas por dia.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Política

Servidores do Lacen apresentam trabalhos científicos sobre a Covid-19 em congresso nacional

Published

on

By

SES-MT

Servidores do Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) apresentaram, nesta semana, durante a 57ª Edição do Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (MEDTROP 2022), em Belém (Pará), trabalhos científicos sobre Covid-19 e Arbovirores em Mato Grosso.

As pesquisas foram selecionadas para apresentação oral e na categoria e-poster (painel). Foram apresentados, entre os dias 13 a 16 de novembro, as seguintes pesquisas: Vigilância Genômica de Amostras Positivas de Arboviroses Coletadas no Estado de Mato Grosso; Sequenciamento de Nova Geração das Amostras de SARS-COV-2 Positivas para Identificação e das Variantes Circulantes no Estado de Mato Grosso; Inquérito Soroepidemiológico de Covid-19 em Cuiabá-MT e o trabalho Monitoramento de Variantes de SARS-COV2 Circulantes no Estado de Mato Grosso em 2021.

Os autores das pesquisas foram Elaine Cristina de Oliveira, Vagner Fonseca, Luiz Takao Watanabe,  Luana Barbosa da Silva, Ana Cláudia Pereira Terças Trettel, Amanda Cristina de Souza Andrade, Emerson Soares dos Santos, Ana Paula Muraro, Nayara Cristine Marchioro Pereira Sigueira, Alessandra Cristina Ferreira de Moraes, Juliana ILídio da Silva, Maria Clara Pereira Leite, Klaucia Rodrigues Vasconcelos, Mara Patrícia F. da Penha, Juliano Silva Melo e Raquel da Silva Ferreira.

Leia Também:  HBO Max estreia doc sobre história do funk com Catra, Ludmilla e mais

Além de servidores do Lacen, também realizaram as pesquisas servidores da Superintendência de Vigilância em Saúde da SES, profissionais da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz). 

Durante o congresso, o Lacen ainda participou da mesa redonda sobre experiências regionais e independentes de vigilância genômica do SARS-CoV-2 no Brasil, que ocorreu dentro da programação do 2º Fórum Covid-19, realizado no encontro nacional. O tema foi apresentado pela diretora do Laboratório Estadual, Elaine Cristina de Oliveira.

O MEDTROP 2022, organizado pela Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), é o maior evento multidisciplinar em medicina tropical da América Latina. Anualmente, mais de 3000 participantes são esperados. Durante o evento, ocorreram diversas discussões, entre elas sobre Doenças de Chagas e Leishmaniose (Chagasleish), Workshop sobre vetores de doenças tropicais (Entomol), Fórum de Doenças Negligenciadas e o IX Workshop Nacional Rede Tuberculose.

Após o MEDTROP 2022, uma técnica do Lacen segue em Belém participando do curso sobre Bioinformática para vigilância genômica de vírus, que encerra neste sábado (19.11).

Leia Também:  Alceu Valença e Xamã farão show em festival de música brasileira no Ibirapuera

COMENTE ABAIXO:
Continuar lendo

GRANDE CUIABÁ

MATO GROSSO

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA