Política

Governo de MT avalia danos em municípios e auxilia famílias afetados pelas fortes chuvas

Publicado em

- Foto por: Secom-MT

Equipes integradas do Governo de Mato Grosso percorrem os municípios mato-grossenses afetados pelas fortes chuvas deste início de ano para avaliar possíveis danos e auxiliar as famílias. Uma das medidas é a homologação de situação de emergência, que permite acesso a recursos federais pelos municípios. Além disso, são distribuídos alimentos, colchões, cobertores e medicamentos.

Relatório da Defesa Civil confirma que 11 municípios já decretaram situação de emergência: Água Boa, Confresa, Diamantino, Gaúcha do Norte, Luciara, Nova Bandeirantes, Paranatinga, Porto Alegre do Norte, Santa Terezinha, São Félix do Araguaia, Vila Bela Santíssima Trindade e Vila Rica.

Os Planos de Respostas e de Trabalho, produzidos pelos agentes da Defesa Civil de Mato Grosso, já foram registrados no sistema para análise do Governo Federal com o intuito de assegurar recursos financeiros para essas localidades. O dinheiro deve ser utilizado pelas prefeituras para a recuperação de pontes e estradas.

Leia Também:  Prefeita de MT confirma que renunciará se Lula tomar posse; assista vídeo

Em Diamantino (a 208 km a médio-norte de Cuiabá), um dos municípios mais atingidos pelas fortes chuvas que caíram, entre janeiro e fevereiro deste ano, cerca de 80 famílias ficaram desalojadas e outras 5 desabrigadas por causa dos alagamentos. Coube à Defesa Civil Estadual encaminhá-las para o Centro Comunitário e hotéis na cidade.

Também foi feita a aquisição de colchões para entregar às famílias, com investimento de R$ 17 mil do Governo Estadual. A doação será entregue na próxima segunda-feira (28.02), com o apoio de servidores da prefeitura e da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

As famílias das comunidades rurais de Vila Bela da Santíssima Trindade (a 527 km a oeste da Capital) que ficaram isoladas devido ao bloqueio das estradas cobertas pelas águas já estão recebendo o mesmo auxílio. Os técnicos destacam que durante o atendimento, não foi registrado nenhum caso grave de pessoas feridas ou de óbitos e apenas registro de danos materiais, como móveis e eletrodomésticos.

Somando as entregas para Diamantino e Vila Bela, serão doadas 400 cestas básicas por meio do Programa Ser Família Solidário e entregues 400 cobertores a partir do Ser Família Aconchego, ambos coordenados pela primeira-dama Virginia Mendes. O monitoramento aos municípios continua, assim como as ações de assistência às famílias durante todo período de chuvas intensas em Mato Grosso.

Leia Também:  STF determina multa de R$ 20 mil por hora para participantes de atos antidemocráticos em MT

Corpo de Bombeiros e Ciopaer

Uma ação integrada entre Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso e Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) levou medicamentos nas comunidades de Ritinha e Ricardo Franco, em Vila Bela da Santíssima Trindade, que estavam ilhadas.

O helicóptero do Ciopaer realizou sobrevoo nos locais para identificar a extensão do alagamento dentro da área urbana e rural e introduzir os agentes da Defesa Civil nos locais, além de fazer um panorama dos estragos em pontes e estradas na área rural.

Em Cáceres (a 250 km a oeste de Cuiabá), na Comunidade do Limão, os Bombeiros entregaram cestas básicas aos 30 moradores que tiveram suas casas inundadas pelas águas do rio que, que teve aumento do volume de água acima do nível normal.

 

 

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

DESTAQUE

Prefeito chama Moraes de deus e diz que voltará participar de atos contra as eleições em Brasília

Prefeito foi afastado do cargo por causa de vídeos em atos considerados antidemocráticos

Published

on

O prefeito Carlos Alberto Capeletti (PSD), afastado da Prefeitura de Tapurah por 60 dias por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), avisou que retornará aos atos contra os resultados das eleições em frente ao Quartel-General em Brasília.

Em entrevista à Jovem Pan, Carlos Alberto afirma que não foi notificado formalmente e entende que a decisão é totalmente antidemocrática.

Eu fiquei perplexo com essa decisão tão rápida. Não fui ouvido, não tive acesso ao que está acontecendo, que tipo de acusação estão fazendo contra mim e já houve essa decisão do ministro. Estou vendo um extremismo total da decisão. Não só comigo, mas o que está acontecendo nesse país“, disse.

O afastamento de Carlos Alberto se deu por vídeos publicados por ele próprio e sua participação no acampamento em frente ao quartel-general do Exército, em Brasília, onde manifestantes que não aceitam a derrota do presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno das eleições fazem mobilização nas últimas semanas. Ele esteve nos atos, classificado como antidemocráticos por Moraes, em novembro.

Leia Também:  STF determina multa de R$ 20 mil por hora para participantes de atos antidemocráticos em MT

O prefeito negou incentivar os atos antidemocráticos e convocou pessoas para ir às manifestações.

…fui à Brasília dia 11, fiquei lá uns 10,11 dias, não fui um incentivador do manifesto, mas presto solidariedade à estas pessoas, e acho que mais pessoas deveriam ir também…

Capeletti disse ainda que as pessoas não estão acreditando nas eleições, as pessoas querem alguma atitude das forças armadas, por isso que estão acampadas…

O prefeito afastado disse que não recorrerá da decisão e que vai voltará à Brasília para continuar as manifestações contra os resultados das urnas.

…juridicamente não tem o que fazer…por mais que eu possa ter advogados quem vai julgar é o imperador [se referindo ao Presidente do TSE Alexandre de Moraes] ele se instituiu o deus né?, ele se colocou acima de todos do país…

Vou voltar para Brasília e ficar lá até que se resolva alguma coisa. Eu vou continuar pacificamente e fazendo o que eu acredito. Eu acredito que algo de bom vai acontecer ao país. Não tem mais a quem recorrer; apenas às Forças Armadas, disse.

Leia Também:  Prefeito que incentivou atos antidemocráticos é afastado pelo STF

O vice-prefeito Odair Cesar Nunes (PSD) deve assumir a prefeitura nos próximos 60 dias.

COMENTE ABAIXO:
Continuar lendo

GRANDE CUIABÁ

MATO GROSSO

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA