Política

Justiça Federal impede fechamento de centro de referência nacional em hanseníase em Uberlândia (MG)

Publicado em

6cc368e1-e0ec-4767-aa82-dc63f9cea090

Decisão atende parcialmente pedido feito pelo MPF em ação civil pública na qual se discute possíveis prejuízos à continuidade dos serviços prestados pelo único centro de referência em hanseníase, dermatologia sanitária e neuropatias periféricas do estado de Minas Gerais


Foto: cresdesh.ufu.br

Uberlândia. O Ministério Público Federal (MPF) obteve liminar determinando à Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) que se abstenham de promover qualquer ato tendente ao fechamento do Centro de Referência Nacional em Hanseníase e Dermatologia Sanitária (CREDESH) ou a impedir que este continue a prestar seus serviços à população de Uberlândia e região.

A decisão foi proferida em ação civil pública ajuizada pelo MPF em janeiro deste ano.

O Centro de Referência, que funciona no Hospital das Clínicas da UFU, é um dos seis centros de referência nacional em hanseníase do país, além de ser o único em Minas Gerais e o único a funcionar num hospital universitário federal. Além disso, o CREDESH-UFU é referência direta para 107 municípios da Macrorregião do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, prestando assistência de média e alta complexidade em hanseníase, dermatologia sanitária e neuropatias periféricas. Nele funciona um Laboratório de Biotecnologia e Patologia Molecular, que realiza aproximadamente 14.000 exames por ano pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Leia Também:  Ministério Público Federal assina acordo de leniência com trading company no âmbito da Operação Lava Jato

“Acontece que, após a EBSERH ter assumido a gestão do Hospital de Clínicas da UFU, chegou ao conhecimento do MPF que os serviços prestados pelo Centro de Referência podem ser descontinuados, pois grande parte dos seus profissionais médicos, farmacêuticos, fisioterapeutas, entre outros, está prestes a ser desligada, não havendo previsão de contratação, pela empresa gestora, de novos profissionais”, relata o procurador da República Cléber Neves, autor da ação.

Chamadas a se manifestar sobre as alegações do MPF, tanto a UFU quanto a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares negaram a intenção de fechamento do centro, como também o desligamento dos profissionais. Segundo as rés, a substituição desses profissionais deve-se ao fato de que todo o pessoal estatutário, cujos contratos foram firmados com a Fundação de Amparo e Pesquisa Universitária (FAEPU), devem ser substituídos por pessoal celetista a ser contratado pela EBSERH, mas que isso não será feito de forma açodada, tendo em vista justamente a preservação do atendimento especializado prestado no CREDESH.

No limbo – Por outro lado, as rés confirmam que o Centro de Referência não foi incluído no Contrato de Gestão Especial firmado pela EBSERH com a UFU.

Leia Também:  Justiça acata pedido do MPF em caso de erro vacinal no município de Lucena (PB)

“Na verdade, o CREDESH não teve quadro de pessoal dimensionado nem foi incluído no levantamento para cessão de bens móveis e imóveis pela gestão da EBSERH. Desse modo, a empresa vem se negando a assumir a responsabilidade pela gestão do CREDESH, dizendo que cabe exclusivamente à universidade garantir os recursos orçamentários de custeio e a força de trabalho necessários ao funcionamento do Centro de Referência, o que obviamente deixa no limbo a continuidade dos serviços prestados à população”, afirma o procurador da República.

Para o Juízo da 2ª Vara Federal de Uberlândia, o relevante serviço prestado pelo CREDESH à população de Uberlândia e região não pode ficar à deriva por causa da avença firmada entre a universidade e a EBSERH.

“Aliás, se o CREDESH é parte integrante do HC-UFU, que passou a ser administrado pela EBSERH, esta também deve assumir a responsabilidade pelo funcionamento daquele, garantindo a continuidade do serviço prestado. Portanto, merece ser deferida, em parte, o pedido de tutela de urgência para obstar o fechamento do CREDESH até decisão final a ser proferida neste feito”, diz o Juízo Federal.
(ACP nº 1000253-71.2022.4.01.3803)

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Minas Gerais
Tel.: (31) 2123-9010 / 9008
E-mail: [email protected]
Serviço de Atendimento a Jornalistas: https://saj.mpf.mp.br/saj/

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Política

Servidores do Lacen apresentam trabalhos científicos sobre a Covid-19 em congresso nacional

Published

on

By

SES-MT

Servidores do Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) apresentaram, nesta semana, durante a 57ª Edição do Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (MEDTROP 2022), em Belém (Pará), trabalhos científicos sobre Covid-19 e Arbovirores em Mato Grosso.

As pesquisas foram selecionadas para apresentação oral e na categoria e-poster (painel). Foram apresentados, entre os dias 13 a 16 de novembro, as seguintes pesquisas: Vigilância Genômica de Amostras Positivas de Arboviroses Coletadas no Estado de Mato Grosso; Sequenciamento de Nova Geração das Amostras de SARS-COV-2 Positivas para Identificação e das Variantes Circulantes no Estado de Mato Grosso; Inquérito Soroepidemiológico de Covid-19 em Cuiabá-MT e o trabalho Monitoramento de Variantes de SARS-COV2 Circulantes no Estado de Mato Grosso em 2021.

Os autores das pesquisas foram Elaine Cristina de Oliveira, Vagner Fonseca, Luiz Takao Watanabe,  Luana Barbosa da Silva, Ana Cláudia Pereira Terças Trettel, Amanda Cristina de Souza Andrade, Emerson Soares dos Santos, Ana Paula Muraro, Nayara Cristine Marchioro Pereira Sigueira, Alessandra Cristina Ferreira de Moraes, Juliana ILídio da Silva, Maria Clara Pereira Leite, Klaucia Rodrigues Vasconcelos, Mara Patrícia F. da Penha, Juliano Silva Melo e Raquel da Silva Ferreira.

Leia Também:  Estrutura que atenderá cem mulheres dia para preventivo ao câncer de mama será inaugurado nesta quarta-feira (19)

Além de servidores do Lacen, também realizaram as pesquisas servidores da Superintendência de Vigilância em Saúde da SES, profissionais da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz). 

Durante o congresso, o Lacen ainda participou da mesa redonda sobre experiências regionais e independentes de vigilância genômica do SARS-CoV-2 no Brasil, que ocorreu dentro da programação do 2º Fórum Covid-19, realizado no encontro nacional. O tema foi apresentado pela diretora do Laboratório Estadual, Elaine Cristina de Oliveira.

O MEDTROP 2022, organizado pela Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), é o maior evento multidisciplinar em medicina tropical da América Latina. Anualmente, mais de 3000 participantes são esperados. Durante o evento, ocorreram diversas discussões, entre elas sobre Doenças de Chagas e Leishmaniose (Chagasleish), Workshop sobre vetores de doenças tropicais (Entomol), Fórum de Doenças Negligenciadas e o IX Workshop Nacional Rede Tuberculose.

Após o MEDTROP 2022, uma técnica do Lacen segue em Belém participando do curso sobre Bioinformática para vigilância genômica de vírus, que encerra neste sábado (19.11).

Leia Também:  PGR recorre ao plenário do STF para tentar barrar resolução que dá ‘superpoderes’ ao TSE

COMENTE ABAIXO:
Continuar lendo

GRANDE CUIABÁ

MATO GROSSO

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA