Política

MPF: Bradesco tem 15 dias para indicar nomes de gerentes responsáveis operações de câmbio suspeitas

Publicado em

31330625-87ef-4897-903b-5a645f7c8f23

Justiça determinou multa diária de R$ 100 mil, caso a decisão não seja cumprida


Imagem: Pixabay

O Ministério Público Federal no Espírito Santo (MPF/ES) obteve decisão favorável da Justiça que determinou que o Banco Bradesco identifique, no prazo de 15 dias, os gerentes responsáveis por operações de câmbio que estão sendo investigadas em uma ação penal pelo crime de evasão de divisas. Em caso de não cumprimento da decisão, a Justiça Federal determinou que seja aplicada multa diária de R$ 100 mil ao banco.

A fraude consistiu na utilização de 1.168 operações de câmbio, sendo 1.160 de importação e oito remessas financeiras ao exterior, todas fraudulentas, que movimentaram cerca de 90 milhões de dólares, aproximadamente meio bilhão de reais pelos valores atuais.

O MPF precisou solicitar judicialmente os nomes dos funcionários, pois, o Bradesco informou, sem maiores justificativas, que não era possível realizar a qualificação dos referidos gerentes. No pedido, o MPF afirmou que “causou estranheza que a segunda maior instituição bancária do país informasse não ter o mínimo controle sobre seus empregados que trabalham em área tão sensível como o mercado de câmbio”. Isto pelo fato de o Banco Bradesco já ter sido advertido pelo Banco Central justamente por falhas na fiscalização em contratos de câmbio.

Leia Também:  PF deflagra operação em combate ao crime de pornografia infantil

Multa. Devido a procedimentos relativos a operações de câmbio, o Bradesco foi multado em R$ 92 milhões pelo Banco Central. Além disso, as instituições assinaram um termo de compromisso que prevê o aprimoramento, pelo banco privado, de procedimentos relativos a operações de câmbio.

Pelo termo de compromisso, assinado em 2020, o Bradesco terá de aprimorar seus procedimentos de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo (PLD/FT). O banco terá ainda de implementar um plano relativo a isso após a aprovação pelo Banco Central.

Além disso, o Bradesco terá de comunicar ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), nos termos da regulamentação editada pelo BC, “movimentações atípicas de recursos na forma da Lei nº 9.613, de 3 de março de 1998”. A lei em questão trata dos crimes de lavagem de dinheiro ou ocultação de bens, direitos e valores, além da prevenção à utilização do sistema financeiro para atos ilícitos.

Processo número 5017576-57.2020.4.02.5001.

Notícia relacionada: http://www.mpf.mp.br/es/sala-de-imprensa/noticias-es/mpf-es-denuncia-doleiros-por-esquema-que-movimentou-ilegalmente-quase-90-milhoes-de-dolares

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal no Espírito Santo
www.twitter.com/mpf_es
www.facebook.com/mpfespiritosanto

Leia Também:  Alvo de operação da Polícia Federal tem mandados de prisão cumpridos pela Polícia Civil em Arenápolis

Informações à imprensa:
https://saj.mpf.mp.br/saj/
(27) 3211-6444 / 3211-6489
[email protected]

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Política

Servidores do Lacen apresentam trabalhos científicos sobre a Covid-19 em congresso nacional

Published

on

By

SES-MT

Servidores do Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) apresentaram, nesta semana, durante a 57ª Edição do Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (MEDTROP 2022), em Belém (Pará), trabalhos científicos sobre Covid-19 e Arbovirores em Mato Grosso.

As pesquisas foram selecionadas para apresentação oral e na categoria e-poster (painel). Foram apresentados, entre os dias 13 a 16 de novembro, as seguintes pesquisas: Vigilância Genômica de Amostras Positivas de Arboviroses Coletadas no Estado de Mato Grosso; Sequenciamento de Nova Geração das Amostras de SARS-COV-2 Positivas para Identificação e das Variantes Circulantes no Estado de Mato Grosso; Inquérito Soroepidemiológico de Covid-19 em Cuiabá-MT e o trabalho Monitoramento de Variantes de SARS-COV2 Circulantes no Estado de Mato Grosso em 2021.

Os autores das pesquisas foram Elaine Cristina de Oliveira, Vagner Fonseca, Luiz Takao Watanabe,  Luana Barbosa da Silva, Ana Cláudia Pereira Terças Trettel, Amanda Cristina de Souza Andrade, Emerson Soares dos Santos, Ana Paula Muraro, Nayara Cristine Marchioro Pereira Sigueira, Alessandra Cristina Ferreira de Moraes, Juliana ILídio da Silva, Maria Clara Pereira Leite, Klaucia Rodrigues Vasconcelos, Mara Patrícia F. da Penha, Juliano Silva Melo e Raquel da Silva Ferreira.

Leia Também:  Alvo de operação da Polícia Federal tem mandados de prisão cumpridos pela Polícia Civil em Arenápolis

Além de servidores do Lacen, também realizaram as pesquisas servidores da Superintendência de Vigilância em Saúde da SES, profissionais da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz). 

Durante o congresso, o Lacen ainda participou da mesa redonda sobre experiências regionais e independentes de vigilância genômica do SARS-CoV-2 no Brasil, que ocorreu dentro da programação do 2º Fórum Covid-19, realizado no encontro nacional. O tema foi apresentado pela diretora do Laboratório Estadual, Elaine Cristina de Oliveira.

O MEDTROP 2022, organizado pela Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), é o maior evento multidisciplinar em medicina tropical da América Latina. Anualmente, mais de 3000 participantes são esperados. Durante o evento, ocorreram diversas discussões, entre elas sobre Doenças de Chagas e Leishmaniose (Chagasleish), Workshop sobre vetores de doenças tropicais (Entomol), Fórum de Doenças Negligenciadas e o IX Workshop Nacional Rede Tuberculose.

Após o MEDTROP 2022, uma técnica do Lacen segue em Belém participando do curso sobre Bioinformática para vigilância genômica de vírus, que encerra neste sábado (19.11).

Leia Também:  ONG de MT batiza pets com nomes de jogadores convocados para a Copa para incentivar adoção

COMENTE ABAIXO:
Continuar lendo

GRANDE CUIABÁ

MATO GROSSO

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA