Política

MT tem a 2ª menor taxa de desemprego e é o 4º com menor desigualdade do país

Publicado em

Trabalhador em obra do Governo do Estado

Mato Grosso é segundo estado com a menor taxa de desocupação (desemprego) do país e o quarto com a menor desigualdade de renda.

Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e constam no relatório “Síntese de Indicadores Sociais – uma análise das condições de vida da população brasileira em 2021”, bem como no último balanço trimestral de 2021 da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD), realizada pelo instituto.

De acordo com o IBGE, a desocupação no país está em 11,1%, enquanto Mato Grosso possui índice de 5,9%. Apenas o estado de Santa Catarina está melhor colocado, com 4,3%.

Mato Grosso também se destacou no quesito de rendimento médio mensal da classe trabalhadora, com R$ 2.455, acima da média nacional de R$ 2.447. No ranking, é o sétimo estado com maior rendimento médio.

Conforme o instituto, o estado também é o quarto com menor desigualdade de renda, se comparar os 10% com maior rendimento e os 40% com menores rendimentos.

Leia Também:  Prefeita de MT confirma que renunciará se Lula tomar posse; assista vídeo

“Essa notícia é fruto de um conjunto de esforços entre o Governo do Estado, setor produtivo e a população. O mato-grossense é um povo trabalhador, e é nosso dever ajudar a criar as condições para que todos possam ter oportunidades de ingressar no mercado de trabalho e garantir o sustento, dignidade, autoestima e mais qualidade de vida”, afirmou o governador Mauro Mendes.

Para o governador, um fato que tem auxiliado na redução do desemprego é o pacote de obras executado pelo programa Mais MT, que tem colocado em ação milhares de obras em áreas como infraestrutura (estradas e pontes), saúde (reformas e construção de hospitais), Educação (ampliação, reforma e construção de escolas e quadras), entre outras.

Além disso, de acordo com Mauro Mendes, Mato Grosso hoje possui uma ambiência com segurança jurídica que incentiva o empreendedorismo, já que o Estado está com as finanças em dia, paga corretamente fornecedores e servidores, reduziu a burocracia, trouxe isonomia na concessão de incentivos fiscais, diminuiu o tempo para emissão de licenças e reduziu impostos.

“Pela metodologia do BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Social], esses investimentos do Estado estão gerando ao todo mais de 50 mil empregos diretos, indiretos e efeito-renda. Porque essas obras desenvolvem as regiões. Quando uma região passa a contar com um asfalto melhor, com uma logística melhor, com mais Segurança, isso atrai investimentos, atrai empresas, que geram ainda mais empregos. É um efeito dominó que beneficia toda a população”, declarou.

Leia Também:  Prefeito chama Moraes de deus e diz que voltará participar de atos contra as eleições em Brasília

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

DESTAQUE

Prefeito chama Moraes de deus e diz que voltará participar de atos contra as eleições em Brasília

Prefeito foi afastado do cargo por causa de vídeos em atos considerados antidemocráticos

Published

on

O prefeito Carlos Alberto Capeletti (PSD), afastado da Prefeitura de Tapurah por 60 dias por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), avisou que retornará aos atos contra os resultados das eleições em frente ao Quartel-General em Brasília.

Em entrevista à Jovem Pan, Carlos Alberto afirma que não foi notificado formalmente e entende que a decisão é totalmente antidemocrática.

Eu fiquei perplexo com essa decisão tão rápida. Não fui ouvido, não tive acesso ao que está acontecendo, que tipo de acusação estão fazendo contra mim e já houve essa decisão do ministro. Estou vendo um extremismo total da decisão. Não só comigo, mas o que está acontecendo nesse país“, disse.

O afastamento de Carlos Alberto se deu por vídeos publicados por ele próprio e sua participação no acampamento em frente ao quartel-general do Exército, em Brasília, onde manifestantes que não aceitam a derrota do presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno das eleições fazem mobilização nas últimas semanas. Ele esteve nos atos, classificado como antidemocráticos por Moraes, em novembro.

Leia Também:  Em "conluio" com Banco BTG, vice-Governador Otaviano Pivetta fraudou cumprimento de bloqueio de R$ 11.8 mi

O prefeito negou incentivar os atos antidemocráticos e convocou pessoas para ir às manifestações.

…fui à Brasília dia 11, fiquei lá uns 10,11 dias, não fui um incentivador do manifesto, mas presto solidariedade à estas pessoas, e acho que mais pessoas deveriam ir também…

Capeletti disse ainda que as pessoas não estão acreditando nas eleições, as pessoas querem alguma atitude das forças armadas, por isso que estão acampadas…

O prefeito afastado disse que não recorrerá da decisão e que vai voltará à Brasília para continuar as manifestações contra os resultados das urnas.

…juridicamente não tem o que fazer…por mais que eu possa ter advogados quem vai julgar é o imperador [se referindo ao Presidente do TSE Alexandre de Moraes] ele se instituiu o deus né?, ele se colocou acima de todos do país…

Vou voltar para Brasília e ficar lá até que se resolva alguma coisa. Eu vou continuar pacificamente e fazendo o que eu acredito. Eu acredito que algo de bom vai acontecer ao país. Não tem mais a quem recorrer; apenas às Forças Armadas, disse.

Leia Também:  Prefeito chama Moraes de deus e diz que voltará participar de atos contra as eleições em Brasília

O vice-prefeito Odair Cesar Nunes (PSD) deve assumir a prefeitura nos próximos 60 dias.

COMENTE ABAIXO:
Continuar lendo

GRANDE CUIABÁ

MATO GROSSO

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA