Política

“…o agronegócio tem práticas irregulares, ilícitas e desonestas”, diz WS sobre relatório final da CPI da sonegação

Publicado em

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) afirmou na quinta-feira (3) que o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Sonegação e Renúncia Fiscal vai demonstrar que o agronegócio mato-grossense comete atos “irregulares, ilícitos e desonestos”.

 

Santos preside a CPI e colheu os depoimentos dos ex-conselheiros, que não comentaram sobre a suspeita de que recursos públicos aportados na Aprosoja-MT teriam financiado atos antidemocráticos.

Foram ouvidos pela CPI (03/03) os ex-conselheiros fiscais Naildo da Silva Lopes, José Guarino Fernandes e José Cassol, questinados sobre o suposto financiamento pela entidade APROSOJA de atos antidemocraticos citados pelo STF no ano de 2021.

A resposta uníssona foi: “nada a declarar, deputado”.

“O relatório final vai mostrar a farra de sonegação que é em Mato Grosso, a ineficiência quase que completa da fiscalização sobre a área de combustíveis, especialmente sobre as usinas de etanol, a farra total e solta que corre no setor da mineração do estado e o agronegócio que tem práticas irregulares, ilícitas e desonestas”, afirmou o parlamentar.

Divida em áreas temáticas a CPI já entregaram dois relatórios parciais, das áreas de mineração e combustíveis.

Leia Também:  RJ: MP Eleitoral articula prevenção a irregularidades em campanhas oficiais

O prazo final para a entrega dos relatórios da área de frigoríficos e agronegócio é no dia 20 de abril. O prazo para entrega do relatório final é no dia 20 de maio.

Sobre SEFAZ e a DEFAZ:

Segundo Wilson, a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz-MT) e a Delegacia Fazendária (Defaz) ainda não implementaram as sugestões apresentadas nos dois relatórios parciais que já foram entregues.

 

Da redação Rogério Florentino com informações de Lázaro Thor Borges/OD

 

 

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Política

Servidores do Lacen apresentam trabalhos científicos sobre a Covid-19 em congresso nacional

Published

on

By

SES-MT

Servidores do Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) apresentaram, nesta semana, durante a 57ª Edição do Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (MEDTROP 2022), em Belém (Pará), trabalhos científicos sobre Covid-19 e Arbovirores em Mato Grosso.

As pesquisas foram selecionadas para apresentação oral e na categoria e-poster (painel). Foram apresentados, entre os dias 13 a 16 de novembro, as seguintes pesquisas: Vigilância Genômica de Amostras Positivas de Arboviroses Coletadas no Estado de Mato Grosso; Sequenciamento de Nova Geração das Amostras de SARS-COV-2 Positivas para Identificação e das Variantes Circulantes no Estado de Mato Grosso; Inquérito Soroepidemiológico de Covid-19 em Cuiabá-MT e o trabalho Monitoramento de Variantes de SARS-COV2 Circulantes no Estado de Mato Grosso em 2021.

Os autores das pesquisas foram Elaine Cristina de Oliveira, Vagner Fonseca, Luiz Takao Watanabe,  Luana Barbosa da Silva, Ana Cláudia Pereira Terças Trettel, Amanda Cristina de Souza Andrade, Emerson Soares dos Santos, Ana Paula Muraro, Nayara Cristine Marchioro Pereira Sigueira, Alessandra Cristina Ferreira de Moraes, Juliana ILídio da Silva, Maria Clara Pereira Leite, Klaucia Rodrigues Vasconcelos, Mara Patrícia F. da Penha, Juliano Silva Melo e Raquel da Silva Ferreira.

Leia Também:  STF julga inconstitucional norma de MG que prevê foro por prerrogativa de função a chefe da Polícia Civil

Além de servidores do Lacen, também realizaram as pesquisas servidores da Superintendência de Vigilância em Saúde da SES, profissionais da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz). 

Durante o congresso, o Lacen ainda participou da mesa redonda sobre experiências regionais e independentes de vigilância genômica do SARS-CoV-2 no Brasil, que ocorreu dentro da programação do 2º Fórum Covid-19, realizado no encontro nacional. O tema foi apresentado pela diretora do Laboratório Estadual, Elaine Cristina de Oliveira.

O MEDTROP 2022, organizado pela Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), é o maior evento multidisciplinar em medicina tropical da América Latina. Anualmente, mais de 3000 participantes são esperados. Durante o evento, ocorreram diversas discussões, entre elas sobre Doenças de Chagas e Leishmaniose (Chagasleish), Workshop sobre vetores de doenças tropicais (Entomol), Fórum de Doenças Negligenciadas e o IX Workshop Nacional Rede Tuberculose.

Após o MEDTROP 2022, uma técnica do Lacen segue em Belém participando do curso sobre Bioinformática para vigilância genômica de vírus, que encerra neste sábado (19.11).

Leia Também:  PF investiga fraudes financeiras de gerente de instituição bancária

COMENTE ABAIXO:
Continuar lendo

GRANDE CUIABÁ

MATO GROSSO

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA