SAÚDE

Frio nas mãos e pés pode ser sintoma de doença grave, alerta especialista

Publicado em

Frio nas mãos e pés pode ser sintoma de doença grave, alerta especialista

É certo e sabido que as baixas temperaturas podem fazer com que o nosso organismo se ressinta e torne mais permeável a vírus e doenças. O que talvez não saiba é que também têm repercussões nos músculos. Os vasos sanguíneos contraem-se e a circulação também. Resultado: por estarem nas extremidades do corpo, as mãos e pés começam a gelar, porque o sangue tem mais dificuldade em lá chegar.


Mas há mais. Ao jornal Daily Express, a médica Sarah Brewer explicou que mãos e pés frios podem estar relacionados com uma bateria de problemas de saúde. Desde frieiras e varizes a síndrome de Raynaud, uma doença que provoca uma diminuição do fluxo sanguíneo para algumas áreas do corpo como os dedos das mãos e dos pés, e ainda doença arterial periférica (DAP).

A DAP caracteriza-se “pela obstrução progressiva das artérias, mais frequentemente dos membros inferiores. É responsável pela maioria dos eventos cardíacos (enfarte agudo do miocárdio) e cerebrovasculares (AVC ou acidente vascular cerebral)”, pode ler-se no portal do Hospital da Luz. A isquemia, o termo médico que designa a presença de um fluxo de sangue e oxigênio inadequado a uma parte específica do organismo, é a principal consequência. 

Leia Também:  9 maneiras de prevenir acidentes com crianças no verão

“A doença arterial periférica torna-se mais comum com a aumento da idade, pelo tabagismo, níveis elevados de colesterol, pressão arterial elevada e diabetes mal controlada”, refere Brewer. Sem tratamento, a DAP pode evoluir para gangrena, resultando na amputação. 

“Todos estes problemas estão relacionados com má circulação, que pode ser melhorada através de mudanças simples no estilo de vida”, diz. Manter as mãos, os pés e a cabeça tão quentes e secos quanto possível, evitar roupa apertada, combater o excesso de peso, praticar 30 minutos de exercício físico diariamente e evitar ficar parado por longos períodos de tempo são alguns dos exemplos referidos pela especialista.

A alimentação também pode – e deve – ser uma aliada. Brewer explica que uma dieta saudável e equilibrada que inclua, pelo menos, cinco porções de fruta e vegetais por dia pode ser melhorada com o consumo semanal de duas porções de peixes gordos, como o salmão, o atum e a cavala. O ômega-3 presente nestes alimentos ajuda a melhorar a circulação nas mãos e pés.

A nutricionista Emma Ross da A.Vogel acrescenta, em entrevista ao mesmo jornal, que “amoras-silvestres, a cayenne [pimenta-caiena no Brasil], peixes ricos em óleos ômega-3, tais como o salmão e arenque, o alho, gengibre, laranjas, sementes de abóbora, nozes e melancia ajudam a melhorar a circulação”. 

Leia Também:  Conheça os riscos do uso de antidepressivos e ansiolíticos sem orientação médica

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

SAÚDE

Dengue: Rio de Janeiro registra primeira morte em 2023

Published

on


Após a primeira morte por dengue no RJ em 2023, foram definidas novas medidas de contenção estabelecidas nos planos de contingência
Pixabay

Após a primeira morte por dengue no RJ em 2023, foram definidas novas medidas de contenção estabelecidas nos planos de contingência

Conforme nota divulgada pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro na última sexta-feira (3), o estado registrou a primeira morte por dengue neste ano.

A vítima era um paciente de 84 anos que estava internado desde o dia 18 de janeiro no Hospital dos Plantadores, no município de Campos dos Goytacazes , no norte fluminense, e morreu após três dias de internação.

O diagnóstico da doença foi feito através de exame laboratorial feito pelo Laboratório Central de Saúde Pública Noel Nutels (LACEN-RJ).

Por conta da alta da doença na cidade nas primeiras semanas de janeiro em relação ao mesmo período de 2022, foram definidas novas medidas de contenção estabelecidas nos planos de contingência.

Leia Também:  Dia Mundial de Combate ao Câncer busca conscientização sobre a doença

A decisão foi tomada após a visita de uma equipe técnica da Subsecretaria de Vigilância e Atenção Primária à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro no local.

Como forma de reforçar o atendimento no centro de referência em dengue do município, a secretaria liberou itens como poltronas, soro fisiológico e alguns medicamentos do Centro de Referência da Dengue e Pós-Covid Jayme Tinoco Netto.

Além disso, será intensificado serviços de controle do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, Aedes aegypti e da equipe de agentes nos locais mais críticos como este onde ocorreu a primeira morte.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continuar lendo

GRANDE CUIABÁ

MATO GROSSO

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA