SAÚDE

Será demência? O sinal de alerta que jamais deve ignorar quando vai ao WC

Publicado em

Será demência? O sinal de alerta que jamais deve ignorar quando vai ao WC

Falhas de memória, alterações do humor e de personalidade, irritabilidade inexplicável, perda de objetos comuns e dificuldades em tarefas diárias. Estes são os sintomas mais comuns de demência. Porém, há um sinal de alerta que se manifesta no banheiro e que pode ser a chave para um diagnóstico precoce. 


Segundo investigadores do Institut du Cerveau, em Paris, a dificuldade em regular a progressão das fezes ou a incapacidade total em evacuar pode ser um sinal de alerta precoce de demência.  

Recorde-se que um estudo publicado na Lancet Digital Health, que  envolveu 20 214 pessoas com Alzheimer no Reino Unido e 19 458 pessoas em França, sugere que doenças como o Alzheimer podem surgir no cérebro duas décadas antes dos sintomas começarem a se manifestar.

Demência é um termo genérico utilizado para designar um conjunto de doenças que se caracterizam por alterações cognitivas que podem estar associadas a perda de memória, alterações da linguagem e desorientação no tempo ou no espaço. Para a maioria não existe tratamento e também não há uma forma definitiva de prevenir a demência. 

Leia Também:  Tratamentos para a artrite podem diminuir risco de demência

Recorde-se que a Organização Mundial de Saúde estima que existam 47.5 milhões de pessoas com demência em todo o mundo, número que pode chegar os 75.6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050, para 135.5 milhões. A doença de Alzheimer representa cerca de 60 a 70% de todos os casos de demência.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

SAÚDE

Conheça a diferença entre ataque cardíaco e crise de pânico

Published

on

Conheça a diferença entre ataque cardíaco e crise de pânico
Redação EdiCase

Conheça a diferença entre ataque cardíaco e crise de pânico

Alguns sintomas do ataque cardíaco e das crises de pânico são semelhantes e podem ser frequentemente confundidos. É comum pacientes chegarem aos hospitais e acharem que estão tendo um infarto, quando estão passando por uma crise de pânico. No entanto, alguns indícios podem ajudar a diferenciar cada um para tratar adequadamente as condições.

“Todos concordam que você não deve arriscar que não seja um ataque cardíaco. Isso porque os sintomas de um ataque cardíaco e de pânico são tão semelhantes que, às vezes, pode ser difícil dizer a diferença. Em caso de dúvida, é melhor errar por precaução e ser rapidamente avaliado em um pronto-socorro para ter certeza de que não foi um ataque cardíaco”, explica a médica intensivista Dra. Caroline Reigada, especialista em Medicina Intensiva pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

Características do ataque cardíaco

Segundo a médica, o ataque cardíaco pode ser repentino e intenso, mas a maioria começa lentamente, com dor ou desconforto leve que piora gradualmente ao longo de alguns minutos. “Esses episódios podem ir e vir várias vezes antes que o ataque cardíaco ocorra. Um ataque cardíaco acontece quando o fluxo sanguíneo que leva oxigênio ao músculo cardíaco é severamente reduzido ou cortado, geralmente pelo bloqueio das artérias coronárias. Ligar para a emergência e obter tratamento imediato é fundamental”, enfatiza a especialista.

Leia Também:  O melhor exercício para perder peso de vez, revelam cientistas

Mulheres estão mais propensas ao ataque cardíaco

De acordo com a Dra. Caroline Reigada, alguns sintomas do ataque cardíaco podem aparecer somente em mulheres. “A dor no peito é o sintoma mais comum, mas as mulheres são um pouco mais propensas a ter outros sintomas, como falta de ar, náusea e dor nas costas ou na mandíbula. Uma declaração científica de 2016 da American Heart Association disse que as mulheres são subtratadas para ataques cardíacos”, explica.

No entanto, a especialista explica que a condição em mulheres ainda é um tabu a ser desconstruído. “Apesar de décadas de esforço para aumentar a conscientização, os pacientes e os médicos não apreciam que as doenças cardíacas sejam a principal causa de morte das mulheres”, diz a médica.

Particularidades das crises de pânico

O ataque de pânico, por outro lado, não é “bobagem” nem “coisa pouca”. “Não está tudo na sua cabeça. É a resposta de luta ou fuga. O sistema de alarme está disparando. Mas, com um ataque de pânico, é uma torrada queimada – não a casa em chamas”, compara a médica. Esse problema é um tipo de transtorno de ansiedade que pode causar ataques de pânico repetidos. Segundo estimativas, a síndrome do pânico atinge cerca de 6 milhões de brasileiros.

Leia Também:  F1: Gasly disse que Tost quase chorou quando soube de sua saída da AlphaTauri

“A ansiedade tornou-se muito mais comum após o início da pandemia. Os ataques de pânico ocorrem rapidamente e geralmente atingem o pico de intensidade em cerca de 10 minutos. Eles podem ser desencadeados por um evento traumático ou grande estresse da vida, mas também podem ocorrer sem motivo aparente. Eles mexem com a sua cabeça, e seu cérebro não consegue entender o que está acontecendo”, evidencia a profissional.

Consulte um especialista

A médica intensivista lembra que, no caso das crises de pânico, é fundamental buscar auxílio de um profissional de saúde mental, que pode indicar terapias para reduzir o medo de sensações ruins. O transtorno do pânico é muito incompreendido, porém muito tratável, segundo a médica. “E, enquanto um ataque de pânico pode fazer você se sentir como se estivesse tendo um ataque cardíaco, um ataque cardíaco real é uma emergência médica […]”, diz a doutora.

Especialistas dizem que mulheres e homens devem discutir seu risco de ataque cardíaco com um profissional de saúde, que pode ajudar a identificar e tratar fatores de risco como tabagismo , diabetes, pressão alta e colesterol alto. Todavia, enfatiza a médica, mesmo pessoas sem fatores de risco podem ter doenças cardíacas. “Então, em caso de dúvida, um médico deve verificar”, finaliza a Dra. Caroline Reigada.

Por Maria Claudia Amoroso

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continuar lendo

GRANDE CUIABÁ

MATO GROSSO

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA